Por falta de vagas em prisões, viaturas viram celas para presos em Porto Alegre

Foto: Ronaldo Bernardi / Agência RBS
Foto: Ronaldo Bernardi / Agência RBS

Problema obriga PMs e guardas municipais a fazer a custódia dos detidos, tirando-os do policiamento das ruas de Porto Alegre 

Por: Rádio Gaúcha

A falta de vagas nas prisões gaúchas está fazendo com que policiais militares e guardas municipais de Porto Alegre deixem o patrulhamento das ruas e tenham de fazer custódia de presos. Nesta quinta-feira (20), quatro policiais estão tendo de cuidar de criminosos em viaturas. As informações são da Rádio Gaúcha.

Na noite de quarta-feira, dois traficantes foram presos armados e com maconha na Paulino Azurenha, na Vila Maria da Conceição. Eles foram levados pela guarnição do 19º Batalhão de Polícia Militar até a 3ª Delegacia de Pronto Atendimento, que não tem vagas. Por causa disso, dois PMs ficaram das 8h de quarta-feira até as 8h da manhã de quinta-feira com os presos. Nesta manhã, outros dois PMs tiveram de render os colegas e seguiam cuidando dos traficantes até as 11h.

Situação semelhante ocorre com dois guardas municipais, que prenderam assaltantes de táxi na madrugada no bairro Passo das Pedras. Eles continuavam parados na frente da DPPA no fim da manhã.

O delegado diretor das delegacias de plantão, Marco Antônio Souza, admitiu que não há vagas nem na carceragem do Palácio da Polícia, que já recebe 20 presos. Os detentos ameaçam matar outras pessoas que sejam levadas para lá.

Contatada pela reportagem, a Superintendência de Serviços Penitenciários afirma que monitora vagas, mas reconhece a superlotação. O órgão espera conseguir resolver a situação ainda nesta quinta-feira.

Painel discute crise no sistema carcerário

O Painel RBS Segurança Já desta quinta-feira debate alternativas para superar a crise no sistema prisional que provocam situações como esta. Participam do debate o secretário da Segurança Pública do Rio Grande do Sul, Cezar Schirmer, o juiz da Vara de Execuções Criminais de Porto Alegre Sidinei Brzuska e o procurador de Justiça Gilmar Bortolotto.

O debate ocorrerá das 15h às 16h30, na sede da RBS TV, e será transmitido ao vivo pela Gaúcha e pelas plataformas digitais do Grupo RBS.

A mediação será feita pelo editor de Segurança Pública do Grupo RBS e editor-chefe do Diário Gaúcho, Carlos Etchichury, e pelo comentarista da Rádio Gaúcha e colunista de Zero Hora Cláudio Brito.

Ex-prefeito de Santa Maria, Schirmer assumiu a Secretaria da Segurança no início de setembro, com a intensificação da crise na área após a morte da representante comercial Cristine Fonseca Fagundes, em 25 de agosto, durante um assalto enquanto buscava o filho na escola, na Capital.

Brzuska está há cerca de duas décadas trabalhando na execução de penas. Bortolotto esteve 17 anos na Promotoria de Justiça de Controle e Execução Criminal de Porto Alegre. Ambos destacam-se pela busca de melhorias no sistema carcerário gaúcho.

Como parte da mobilização institucional e editorial “Segurança Já”, os painéis têm como objetivo discutir alternativas para a redução da violência no Estado. As três edições anteriores trataram de violência, impunidade e roubo de veículos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima